13/07/15

Dos dias felizes

                                                         Angelina Jolie


Minto se disser que tenho um monte de amigos mas, dos que tenho, são do melhor que há. Eu sei, parece cliché mas é a verdade. Vamos crescendo e ganhando maturidade. Tornamo-nos capazes de decidir se isto ou aquilo é ou não é bom para nós e, de certa forma, acabamos por nos tornar mais selectivos nas amizades.
Sinto-me sortuda porque tenho pessoas maravilhosas a meu lado e sei que estarão comigo sempre, tenha eu dias mais chuvosos ou dias radiantes cheios de sol. E acreditem que o meu sentimento é recíproco. São estas pessoas que despertam o que há de melhor em nós e que nos desafiam a ser ainda mais. 

Hoje foi um dia muito feliz. Daqueles que fazem os dias merdosos valerem a pena, sabem? Recebi boas notícias atrás de boas notícias de grandes amigos meus e, no entanto, é como se tivessem acontecido a mim.

Sinto-me grata por poder estar presente na vida deles. 

7 comentários:

  1. Aproveita sempre essas amizades, eu infelizmente não tenho muitos amigos ... :)

    ResponderEliminar
  2. Estas amizades plenas valem uma vida inteira!

    r: Concordo totalmente contigo*

    ResponderEliminar
  3. Ohh é tão bom saber que temos pessoas do nosso lado aconteça o que acontecer!

    ResponderEliminar
  4. Amizades assim são as que vale a pena preservar :) porque são as que nos fazem bem, felizes, nos acrescentam coisas boas :)

    ResponderEliminar
  5. A amizade é uma das mais belas formas de amor.

    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Posso dizer o mesmo que tu em relação aos meus amigos :) Como se costuma dizer melhor poucos e bons...

    MORNING DREAMS

    Sofia Silva, Beijos*

    ResponderEliminar
  7. Mais vale qualidade do que quantidade :)

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo