28/11/15

Adele



Não é a melhor cantora do mundo e também não foi nenhum amor à primeira vista. Quando a ouvi pelas primeiras vezes, pensei: "Pois é mais uma que canta sobre desgostos amorosos..." A única diferença é que ela cantava de facto BEM. Fui conhecendo e ouvindo as músicas delas até que uma noite pus-me a ver a sua actuação no Royal Albert Hall. Rendi-me. Ver aquela rapariga, descalça, com aquele vozeirão a cantar para tamanha multidão comoveu-me. Vê-la a chorar com um lenço na mão a limpar as lágrimas fez-me sorrir. Ver aquela gente toda a cantar com ela em uníssono conquistou-me. Ela é... a Adele. 

Quatro anos depois, ela regressa com um "Hello from the other side...." e de imediato, apaixonei-me pelo single. Eu e mais outros milhões de pessoas. Houve uma manhã em que ouvia as novas músicas dela e pensei que seria brutal ir vê-la ao vivo. Não é que horas mais tarde vejo uma partilha no Facebook a dizer que ela vem cá ao Meo Arena dia 21 e 22 de Maio de 2016? 

Deixo-vos aqui um vídeo dela, pode ser que se derretam como eu me derreti. Quanto ao concerto dela, ainda que falte meio ano... its going to be fuckin' great

4 comentários:

  1. Gostava de conseguir ir a Portugal nessa altura, mas não me vai ser, de todo, possível... Mas pronto, ainda hei-de arranjar maneira de a ir ver ao vivo!

    ResponderEliminar
  2. Essa mulher tem uma voz de se tirar o chapéu :)

    ResponderEliminar
  3. Quero tanto ir vê-la!!! =) tantooo...no meu caso foi amor à primeira vista. Desde o primeiro dia, que adorei a Adele não só pela sua voz como pela sua personalidade. Mal posso esperar que ela venha a Portugal, tenho a certeza que será um bom concerto.
    Beijinhos*

    Comecei a seguir-te<3 Faz uma visita ao meu blog e espero que também gostes do que eu publico por lá...
    http://nuancesbyritadias.blogspot.pt/2015/11/minimal-jewelry.html

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogues à mesa

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo