12/01/16

Miss Independent



Costumo dizer na brincadeira que a independência é o meu nome do meio. É dos valores que mais estimo e é também das melhores coisas de sempre. A sensação de não depender de ninguém nem ter de dar justificações, de ter conseguido fazer algo sozinha - por mais insignificante que seja - vale ouro. No entanto, minto se disser que sempre fui assim. Quando era mais nova, o "estar por minha conta" aterrorizava-me e, por isso, preferia mais estar nas mãos dos outros , à sua mercê. Porque, verdade seja dita, assustava-me olhar para o meu umbigo. Óbvio que isso não era bom e, mais óbvio ainda, foi ter levado com valentes cabeçadas... vezes suficientes para aprender algo de importante. A pouco e pouco, fui-me conhecendo e aprendi a ser mais autónoma. Best thing ever happened. 

Claro que isto não é só um mar de rosas. Ser independente implica estar lá para receber os louros, mas também para dar a cara quando a coisa não corre bem, chamemos-lhe vá, ser responsável pelos nossos próprios actos. E nem toda a gente gosta desta parte. Eu não sou excepção, mas faz parte da vida dos crescidinhos. Ainda assim, acho que compensa. É um bom negócio.  

E por aí? Temos muitos Mr. and Ms Independents? Contem-me tudo :-) 

10 comentários:

  1. Sou e sempre fui e acho que cada vez dou mais valor a isso. Já não me imagino doutra forma, que não independente. Em todos os aspectos!

    ResponderEliminar
  2. Esse desenvolvimento, essa transformação chama-se "crescimento e amadurecimento pessoal".
    Parabéns.. e continue assim... autêntica!

    ResponderEliminar
  3. Eu sou assim, dou a cara quer seja para coisas boas e coisas más!

    ResponderEliminar
  4. É um processo demorado, em muitos casos, e nem sempre é um mar de rosas. Acho fundamental lutarmos pela nosso independência, independentemente das dificuldades que nos possa trazer.

    r: Muito obrigada!

    ResponderEliminar
  5. Exatamente e isso devemos aliar o conforto. Sempre :D

    É um bom negócio, de certeza. Não me restam dúvidas. E se vocês creem nisso é meio caminho andado! :D

    NEW POST | 883 POLICE SWEATER GIVEAWAY
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  6. Ainda não sou, mas um dia vou ser, um dia quero ser. E dizem que o querer é puder. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Eu adoro os meus, mas sou super independente e ainda bem!

    ResponderEliminar
  8. Eu sou muito independente e sempre fui. Muitas vezes os meus pais (principalmente a minha mãe) vêem isso como sendo frieza ou desinteresse mas a verdade não é essa, às vezes só conto algumas coisas aos meus pais depois de as ter resolvido, não por não querer que eles saibam ou por não querer a sua ajuda/apoio mas porque sou muito prática e quando algo acontece eu vou e resolvo, sem andar ali muito tempo a bater na mesma tecla. É difícil ser independente às vezes porque tendem a interpretar mal a independência

    ResponderEliminar
  9. Eu sou independente Q.B.. Trabalho por conta de outrém o que me tira alguma independência, mas tomo decisões sozinha, o que me dá independência. Tenho marido e filhas, o que me tira alguma indpendência, mas, normalmente eles deixam-me fazer o que quero.

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogues à mesa

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo