20/03/16

It ain't easy

Nunca ninguém te diz que vai ser fácil, porque a verdade é que não vai e tu já sabes isso. No entanto, o que tu queres não são palmadinhas nas costas, às vezes basta apenas pararem de dizer que não vai correr bem, que não há futuro, que não presta. Queres carregar no mute e ficar no teu canto por um bocado, para amadurecer as ideias. Porque o facto é que nem tu sabes como as coisas vão correr. 

Antes de mais, tens uma grande tarefa pela frente: descobrir aquilo que gostas de fazer. Aquilo que queres ser quando fores grande e não tem de ser para o resto da vida. Eu demorei 23 anos a descobrir o que raio queria fazer com a minha vida e, mais importante que tudo, a acreditar que aquilo que eu queria era possível. 
Depois de descobrires o teu propósito, chegou a altura de lutares por ele. E, adivinha... não vai ser fácil. Às vezes, ser feliz não é fácil sobretudo quando implica ir contra os valores ou ideias dos outros. Quantas vezes eu não oiço colegas dizerem que gostavam de ter ido para o curso de psicologia ou artes mas escolheram Direito porque teve de ser? Ou que gostavam de ter feito isto ou aquilo mas as circunstâncias da vida não o permitiram? Não, não os estou a julgar porque eu não sou ninguém para o fazer, mas são estas pequenas coisas que me fazem reflectir.

A partir de uma certa altura, a sensação de ficar estagnado fala mais alto. Vês os anos a passarem mas, apesar disso, estás na mesma: no mesmo sítio, no mesmo trabalho, na mesma vida. Claro que se te sentes feliz assim, óptimo. O problema é quando não estás bem. Mais uma vez, não estou aqui para julgar ninguém, porque eu sei que é muito mais fácil deixar as coisas andarem e manterem-se neste coma diário do que dar uma reviravolta nisto tudo. Porque fazer isso implica mudar e tomar decisões, implica quebrar rotinas de muitos anos, implica... sair da zona de conforto. E isso pode ser aterrador ao início, sobretudo quando se tem mais alguém dependente de nós. Eu sei, porque estou a passar por tudo isso agora. Pior é quando finalmente te decides mexer e, as pessoas que te são mais próximas parece que te tentam demover as ideias, achando que piraste de vez! Não é por mal, acredita, é porque muito provavelmente estão preocupados contigo (ainda que tenham uma forma estranha de o demonstrar, i know)


Posso apenas dizer que tem dias. Às vezes, ligo o turbo e faço as coisas de cabeça erguida. Outras vezes, nem tanto. Começo a duvidar, a baixar os braços... e aí lembro-me também do sabor da estagnação. Isso funciona como um choque eléctrico, porque é o que faz com que  volte sempre a tentar. Há uns meses atrás, tive de tomar uma decisão séria (mais uma da vida!) e, ao desabafar com a minha madrinha, ela perguntou-me de repente: "Olha, se morresses agora, morrerias feliz?". Fiquei uns bons minutos a olhar para o ecrã do computador. O cursor continuava a piscar, ansiando a minha resposta que foi: "Bem... não morreria infeliz." Pois não, mas morreria conformada. E sinceramente, a vida tem de ser mais do que... conformada.

Por isso sim,  o caminho para a felicidade é tramado. Só nos contos de fadas é que tudo é maravilhoso porque na vida real, é isto. Mas... quando alcançar o meu objectivo, eu sei que nem vou ter palavras para descrever a sensação. Todos os adjectivos vão parecer insuficientes. Vou andar com um sorriso tolo e um brilhozinho nos olhos, preenchida pelo sentimento de conquista e de "missão cumprida". É como quando estamos apaixonados, estão a ver? Excepto que, desta vez, estou a falar da paixão pela vida.

6 comentários:

  1. Não é fácil e quem acha que sim vive iludido, mas, apesar de tudo, isso não nos pode demover. Claro que não simples mudar de vida ou dar um passo em direção ao desconhecido, mas se sentimos que não estamos bem temos que fazer alguma coisa para mudar.

    r: Desde pequena que adoro futebol e há jogadores que são uma verdadeira inspiração *.*

    ResponderEliminar
  2. Bem, não sei muito bem qual foi a decisão que tomaste, embora pareça ligada à tua vida profissional. Seja qual for, tenho a certeza de que te vais sair super bem (=

    PS - Ir para direito porque "teve que ser" já nem faz muito sentido, porque é mais uma das áreas que está a mandar gente para o desemprego, para empregos precários ou estágios manhosos =P

    ResponderEliminar
  3. O que importa é que nunca desistas de o alcançar :) Na conjuntura atual é difícil de encontrar um bom emprego seja onde for, e temos de ser persistentes e não deixar de nos educar para conseguirmos triunfar. Boa sorte na tua luta :)

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigado, minha querida :D Nem sabes o quão feliz isso me deixa :D

    Embora o incerto, muitas das vezes, nos pareça meio obscuro, temos de ser sinceros e perceber que é o desafio que nos faz crescer. É a vontade de ir e querer vencer. Se tens um foco e um objetivo que queres muito e, acima de tudo, pelo qual acreditas, o melhor de tudo é que nunca desistas de o alcançar e que persistas até o conseguíres.... Por muito complicado que pareça :)

    NEW TIPS POST | More Cares, Less Taboos
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  5. Nada do que é bom vem fácil. Li isto algures e é bem verdade :)

    ResponderEliminar
  6. Não é fácil realmente... mas é preferível sempre a realidade, não é? Assim sabemos o que esperar..

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo