27/09/16

Sentes-te grato (a)?


Eu não acredito em Deus, mas acredito no destino e na força do universo. Digamos que, na minha humilde opinião, existem poucas coincidências e nada acontece por acaso. Talvez seja um pouco ingénuo mas foi esta a realidade que a vida me ensinou. Ainda assim, apesar desta filosofia, às vezes não consigo deixar de me sentir grata só porque sim. Grata por ter a vida que tenho. Não é nenhum mar de rosas (começo a desconfiar que tal coisa não existe) mas  por tudo aquilo que já conquistei; por ter pessoas que me amam ao meu lado e que me aceitam tal como sou (com os meus defeitos e neuras), de poder chamá-las de MINHA gente. 

De vez em quando, sabe bem ser uma mera espectadora e ficar a admirar tanto amor e tanta vitória. Uma amiga minha virou-se para mim há uns dias e perguntou: "Já viste como a tua vida mudou?" Desde o ter tirado a carta e ir perdendo o medo da estrada (continuo uma nódoa a estacionar) até ao ter saído de casa e mudado algumas vezes de trabalho pelo caminho. Parecendo que não, este tipo de coisas até fazem uma pessoa crescer e mudar muito. 

Talvez seja a minha atitude perante os acontecimentos que mudou. Talvez. E por aí? Também se sentem assim ou nem por isso? :-)

7 comentários:

  1. Lição de vida!!
    Nós temos que ir atrás de nossos sonhos, buscá-los... lutar pelo que desejamos.
    Esperar que Deus te dê a carta é estupidez... ir atrás da carta, se esforçar, lutar, aprender e praticar.. é ajudar a Deus a dar-te o que queres.
    Substitua a palavra "carta" por todos os teus desejos... e Deus olhará por ti!!!
    Bela lição de vida aqui contida!!!

    ResponderEliminar
  2. Sim, sinto-me muito grata (= quanto aos mares de rosas, acho que só nos filmes =p

    ResponderEliminar
  3. tal e qual ;)

    ainda no domingo vinha no comboio de lisboa para casa, a pensar em como tinha tudo e não sentia falta de nada <3 o quão agradecida me sinto até pelo ar que respiro.
    desde há muito (hábitos de reiki e tal) que ao acordar junto as mãos e digo obrigada :)
    beijinhos, gostei de ler..

    ResponderEliminar
  4. Acredito :P E quando se sai à noite deve piorar um pouco ahahah :P

    Tal como tu, não acredito em Deus mas acredito que há uma força superior que nos vai pondo várias provas. Dou por mim a pensar na minha evolução, assim como te acontece, e acabo por me sentir um privilegiado! é incrível!

    NEW OUTFIT POST | Classic Dots.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  5. Claro! Cresci imenso com esse tipo de fases e são isso que nos "faz".

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
  6. Estes momentos de introspeção deviam ser uma constante, precisamente porque nos obrigam a ver como a nossa vida mudou (ou como precisa, aparentemente, de mudar). Além disso, é mesmo uma forma de nos sentirmos gratos por tudo o que fomos conquistando

    ResponderEliminar
  7. Muito provavelmente, foste tu que mudaste. São mudanças que fazem parte e que ajudam ao nosso crescimento interior. São muito importantes, também, para percebemos quem somos. Considerações religiosas ou de fé à parte (terreno demasiado pantanoso), sinto-me grata, sim, por aquilo que tenho e por aquilo que alcancei com o meu esforço. Quando me esqueço disso, o Moço faz questão de me lembrar =)
    ***

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogues à mesa

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo