29/08/16

Telepatia feminina


 Num café com um casal amigo, que em breve irão ser papás:

A rapariga: - Querido, não queres ir buscar alguma coisa para comer? 
O rapaz: - Hum, o que há para comer?
A rapariga: - Então, há um bolo que se chama ..... (não me recordo do nome), há um brownie e empadas de galinha. 
O rapaz: - O que leva esse bolo, sabes?
Eu: - Oh, por amor de deus, não é óbvio que ela quer uma empada de galinha? Vai-lhe lá buscar, se faz favor.

Isto de termos trabalhado todos juntos tem muito que se diga e recordo-me  da minha amiga comer empadas de galinha nas horas de pausa, algo que ela simplesmente adora. Por isso, não foi díficil ler nas entrelinhas. Recebi um: "Oh" enternecido como resposta da parte dela

Parece quase telepatia, hem? :-)

6 comentários:

  1. Telepatia feminina é sempre bom ahah

    Há giveaway a decorrer no blog! Participa!
    Beijinhos
    http://that-g-i-r-l.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Há pessoas que conhecemos tão bem, que nem precisam de nos dizer o que lhes vai na cabeça (;

    ResponderEliminar
  3. Há laços que se formam bastante engraçados! =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Acredita que é das peças mais intemporais e versáteis de sempre :D Até no verão se usa bem :D

    Há pessoas que já nos conhecem de olhos fechados! Este tipo de situações valem tanto a pena <3

    NEW COOKING POST | Sericaia de Elvas.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  5. Da forma que disseste isso pareceu mesmo telepatia! Beijinho.

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo