16/01/17

Coisas de bestie


Marcámos um encontro as 20h num centro comercial: eu, a minha bestie e mais duas amigas. Mandei mensagem à minha melhor amiga antes, a perguntar se ela iria já jantada. Andávamos as duas falidas, por isso decidimos comer antes de ir. 

Quando nos encontrámos, as duas outras amigas estavam atrasadas portanto, era só eu e a minha buddy na paragem do autocarro (tanta falta que o meu boguinhas me faz!). 

Eu: Então conseguiste jantar?
Ela: Não tive tempo.
Eu: Bem, eu comi uma sopa mas confesso que já estou outra vez com fome. 
Ela: Pois...
(Pausa) 
Eu: Jantamos por lá?
Ela: Siiim! - respondeu dela acenando vigorosamente a cabeça e com um sorriso de orelha a orelha.

Quando duas lontras se juntam dá nisto! Pela foto, dá para perceber onde fomos jantar, não? :-) 

7 comentários:

  1. Mas não devias. A moda serve precisamente para isso :)

    Ahahah adoro! Encontros assim sabem sempre bem :D

    NEW DIY POST | Handmade Coffee Body Scrub.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  2. Que bommmm! É sempre bom termos aquela "bestie" que nos faz ter momentos assim, simples mas autenticos!
    Gostei muito do teu blog, já estou a segui-lo! Beijinhos
    http://omundodajesse.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Esses encontros assim são os melhores!

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  4. É bom ter amizades assim :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Ahahah!! Sabes que os planos nunca se concretizam realmente... Ao menos, foi uma refeição animada!! =)
    ***

    ResponderEliminar
  6. Assim é que é incrível :D

    r: Sem dúvida!

    ResponderEliminar

Devaneios Lisboetas. Com tecnologia do Blogger.

Vamos devanear?

devaneioslisboetas@gmail.com

Acerca de mim

A minha foto
"Eu desejava dizer muitas coisas à rapariga que roubava livros, acerca de beleza e brutalidade. Mas o que podia eu dizer-lhe acerca dessas coisas que ela não soubesse já? Queria explicar-lhe que estou constantemente a sobrestimar e a subestimar a raça humana - que raramente me limito a estimá-la. Queria perguntar-lhe como podia a mesma coisa ser tão horrível e tão gloriosa, e as suas palavras e histórias tão nefandas e tão brilhantes", Mark Zusak em " A Rapariga que roubava livros"

Blogues à mesa

Blogging.pt

Blog Portugal

A devanear comigo